#manifestolivre

manifestolivre
o escritor vive na palavra
que é a negação da morte
“leiam-nos,
não nos deixem morrer!”
nesse micro ponto do espaço virtual
um pouco de nossas entranhas
fibras, ideias, dia a dia, sonhos, dramas
sob doses absurdas de poesia
sob doses absurdas de liberdade

liberdade
de gênero
de formato
de influências
liberdade de nós mesmos
em busca de transcendência
do que somos
do que queremos:
“leiam-nos,
não nos deixem morrer!”

uma dose
uma pílula
uma colher
um soco
um carinho
qualquer coisa que te faça parar nesse turbilhão

sejam bem-vindos a nós